7 ótimos filmes que você não viu em 2017

Muitos filmes excelentes saíram e é totalmente perdoável que você não tivesse tempo, paciência ou dinheiro para assistir as várias excelentes obras. Talvez você só visse as estreias de super-heróis do ano. Talvez você tenha reservado apenas para explorar o universo de Star Wars.  Está tudo bem. Mas se você quiser transformar suas férias de fim de ano em uma maratona de filmes, temos algumas sugestões. Aqui estão os melhores filmes que você perdeu em 2017.

Leia Também

‘Street Fighter’ ganha coletânea em comemoração aos 30 anos

Warner divulga trailer do novo filme de Steven Spielberg’s “Jogador Nº1”

Alita: Anjo de Combate ganha primeiro trailer

Dark, uma série para você maratonar neste fim de semana.

Lady Bird – A hora de Voar
Lady Bird é daquele tipo de filme que você assiste com um sorriso no rosto do início ao fim. Despretensioso, o longa de estreia na direção solo da atriz Greta Gerwig é um delicioso conto de chegada à maturidade (o famoso “coming of age”), centrado na figura de uma protagonista concebida com uma rara espontaneidade e, como consequência, involuntariamente carismática, perfil captado com precisão por Saoirse Ronan.Auto-rebatizada “Lady Bird”, Christine McPherson (Saoirse, de Brooklin, excepcional) é uma típica garota comum de 17 anos. Estudante de uma escola católica na cidade de Sacramento, nos Estados Unidos (fora, portanto, do circuito hype), ela não é exatamente popular. E, em casa, vive às turras com a mãe, controladora, que cumpre uma dupla jornada de trabalho para compensar o desemprego do pai (Tracy Letts), a quem a menina idolatra.

God’s Own Country
Primavera em Yorkshire, no Reino Unido: um jovem fazendeiro de ovelhas prefere se isolar e entorpecer suas frustrações diárias com bebedeiras e sexo casual. Porém, a chegada de um trabalhador migrante romeno, empregado para a estação de parto, acende uma relação intensa que coloca o rapaz em um novo caminho.

 

Três Anúncios Para um Crime
Mildred Hayes. Guardem esse nome. Seria lindo se, num futuro não muito distante, o rosto de Frances McDormand na pele da personagem fosse estampado em canecas, camisetas e afins, cultuado como um ícone do cinema… indie (na falta de uma palavra melhor) – tal qual o Jeffrey “the dude” Lebowski (Jeff Bridges), do filme dos irmãos Coen.Não que sejam papéis parecidos (nem de longe), mas ambos guardam uma força magnética (e um tanto surrealista) digna de admiração. O trabalho que a atriz faz em Three Billboards Outside Ebbing, Missouri (que título, minha gente, que título!) é simplesmente inesquecível.O nome do novo filme do diretor Martin McDonagh (Na Mira do Chefe, de 2008) é quase um storyline. Ou, pelo menos, um gatilho para a ação. Os três outdoors que beiram a estrada por onde quase ninguém passa na cidade de Ebbing, no Missouri, Estados Unidos.

 

Free Fire
Na década de 1970, em Boston, uma mulher planeja o encontro entre dois homens e os líderes de uma gangue local. No entanto, as coisas não saem como programado e a reunião se transforma em um embate sangrento, numa verdadeira luta pela sobrevivência.

Ao Cair da Noite
Ao entrar na sala de cinema, não espere respostas. Ao Cair da Noite é um filme quase que exclusivamente sensorial. Um suspense de construção de clima que boa parte da audiência pode acreditar que não leve a lugar algum. Mas, acredite: o importante, aqui, não é o destino, mas o percurso em si.Dirigido pelo quase desconhecido Trey Edward Shults (do elogiado Krisha, que não foi lançado no Brasil), o longa também conta com roteiro do realizador. E a história é bem simples. Em um mundo assolado por uma ameaça à saúde das pessoas, Paul (Joel Edgerton) vive isolado em uma floresta com a esposa (Carmen Ejogo) e o filho (Kelvin Harrison Jr.) Quando um homem (Christopher Abbott) invade o refúgio deles, claro, perturba a ordem autoimposta pelos anfitriões.

Doentes de Amor
Kumail Nanjiani é um dos protagonistas de Silicon Valley e acumula participações em inúmeros filmes e séries. Você provavelmente já o viu em alguma coisa, só não lembra qual. Isso deve mudar a partir de Doentes de Amor, comédia dramática estrelada e roteirizada por ele – em trabalho a quatro mãos com a esposa Emily V. Gordon. Baseado na história de amor do casal, o filme dirigido por Michael Showalter (Doris, Redescobrindo o Amor) acompanha os conflitos de Kumail consigo mesmo e sua família muçulmana estabelecida nos Estados Unidos. Nascido no Paquistão, ele quer ser comediante, só finge que reza e namora secretamente uma mulher branca, algo inaceitável para seus pais tradicionalistas.

Ingrid Goes West
Ingrid (Aubrey Plaza) é uma jovem que tem como seus principais ídolos as personalidades das redes sociais. A que ela mais gosta é Taylor Sloane (Elizabeth Olsen), muito famosa e com uma vida aparentemente perfeita. Obcecada, Ingrid decide abandonar tudo e se mudar para perto de Taylor, colocando em prática o plano de se tornar sua melhor amiga. Porém, o que parecia mais um comportamento de fã, se torna aos poucos preocupante e perigoso.

 

 

Faça um comentário

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *